sábado, 31 de maio de 2008

Com um brilhozinho nos olhos...

Há um texto, de autor desconhecido, que conta a seguinte história:


«Disse um soldado ao seu comandante:

-"O meu amigo não voltou do campo de batalha. Meu comandante, solicito autorização para ir buscá-lo."

Respondeu o oficial:

-"Autorização negada!" "Não quero que você arrisque a vida por um homem que, provavelmente, está morto!"

O soldado ignorando a proibição saiu e uma hora mais tarde voltou mortalmente ferido, transportando o cadáver do seu amigo.

O oficial estava furioso:

-"Eu não lhe disse que ele estava morto?!"

-"Diga - me, valia a pena ir até lá para trazer um cadáver?"
E o soldado, moribundo, respondeu:

-"Claro que sim, meu comandante! Quando o encontrei, ele ainda estava vivo e disse-me:

- Tinha a certeza que virias!"

"Um amigo é aquele que chega quando todos já se foram."»


Faz hoje uma semana em que consegui uma das coisas mais maravilhosas deste mundo - fazer um amigo! Passámos juntos um dia memorável! Um daqueles dias em que as almas se unem! Foi com pena que o me tive que apartar dele! Senti esse pesar apenas por uma razão: porque ainda vão passar uns meses até termos oportunidade de voltarmos a estar juntos! Mas foi bom, poder estar com alguém com quem nos sentimos bem, sem necessidade de agradar e o tempo passar sem se dar por isso, no meio até de brincadeiras mais pueris! E realmente é das coisas mais fantásticas que existe: sentir que se fez um amigo! Pois são eles que nos dão o colorido à vida e, sem eles, não somos nada nesta vida!


I miss you my sweet friend!


sexta-feira, 30 de maio de 2008

Vale a pena pensar nisto

Metade dos nossos erros na vida nascem do facto de sentirmos quando devíamos pensar e pensarmos quando devíamos sentir!

segunda-feira, 26 de maio de 2008

ESC 2008 (part 2)

E segue agora a segunda parte!


video

ESC 2008 (part 1)

Neste fim-de-semana teve lugar o Eurofestival da Canção. Tudo bem que já não tem o mesmo impacto de outros tempos em que, nessas noites de sábado, a família ficava em peso colada frente ao televisor, mas ainda continua a cativar bastantes espectadores.

Não me vou alongar muito, nem opinar sobre a participação portuguesa ou sobre a canção vencedora (gostei bastante da canção sueca que, estranhamente, ficou mal classificada), vou apenas reviver um pouco da história do evento ao longo dos anos com os respectivos vencedores.


video

quarta-feira, 21 de maio de 2008

Os maravilhosos gestores das petrolíferas e o aumento do preço dos combustíveis

Fiquei tão emocionado que quase chorei! É verdade! Esta semana, ao ver na televisão a conferência de imprensa do presidente da Galp Energia, senti um tal fluxo de emoções percorrer
o meu corpo que me senti quase como se estivesse a ver os desenhos animados do Tom & Jerry.

Hoje às 0:00h, o preço dos combustíveis voltou a subir. De acordo com o erudito senhor, tal aumento deve-se às circunstâncias internacionais, as quais ele não consegue controlar e vê-se repetidamente forçado a espelhá-las no preço final dos combustíveis. E foi com dor e consternação que ele se afirmou condoído perante o facto de os portugueses terem que suportar tal factura, apontando o dedo incriminatório à carga fiscal que recai sobre os produtos petrolíferos.

Realmente eu vejo-me forçado a ter que parabenizar os gestores da Galp. Como é possível a uma petrolífera que, aparentemente, só compra o petróleo quando ele atinge os seus máximos (quando se sabe que pelo menos esse mesmo petróleo demora uns três meses a chegar, já refinado, aos consumidores) consiga ter os lucros que apresenta quando labora num país com uma carga fiscal tão pesada?

Dizem que o Estado fica, em impostos, com cerca de 0,80€/litro. Ora isso significa que o resto é lucro para a petrolífera. Valor esse que, acredito, cobre os custos da compra do crude, refinação e distruibuição.

Depois veio a notícia que afinal os preços já não aumentaram. Dizem que houve uma confusão interna. Um tal mal-entendido. Afinal uma grande empresa é como um organismo vivo. Se calhar a Galp estava com gases (seria essa a confusão interna?). Não sei. Entre ordem e contra-ordem uma pessoa baralha-se.

Parece-me (e até acredito que seja isso o que tenha acontecido) que o Estado tenha exercido o poder que detém na Galp (graças à goldenshare que mantem) e alguém terá ligado à administração da Galp e terá dito «ó meus senhores, vamos lá a parar com isso».

Eu comparo uma evolução que notei nos combustíveis entre Portugal e Espanha. Tudo bem que o IVA e outros impostos sejam mais baixos em Espanha. Mas mesmo assim é válida uma comparação. Ora vejamos: no dia 1 de Maio, em Badajoz (curiosamente num posto da Galp), atestei o carro e a gasolina sem chumbo de 95 octanas estava a 1,17€/litro. Em Portugal estava a 1,44€/litro. No dia 18 de Maio atestei novamente em Espanha, desta feita em Ayamonte, e paguei 1,08€/litro. Em Portugal pagaria 1,47€/litro.

Muito bem. A carga fiscal é diferente nos dois países. Mas o sentido da evolução do combustível é diferente de um e de outro lado da fronteira. E venham-me então dizer que não há marosca na fixação dos preços em Portugal. A autoridade da concorrência já anda a investigar. Vamos ver a que conclusões chegam: se à verdade ou se a um novo atestado de estupidez ao povo de Portugal?

Quando falamos nestas questões tendemos a pensar apenas na gasolina. Mas não nos podemos esquecer de outras coisas, que acabam por estar encadeadas entre si. A maioria da electricidade produzida em Portugal é conseguida em centrais termos electricas, isso significa que há uma máquina a queimar combustivel para produzir electricidade. Muitas empresas vão ver os custos de produção aumentar (electricidade, distribuição porque os camiões não andam a água, etc.) o que vai significar um aumento do custo de vida e da inflacção em Portugal. E lá continuaremos a ser os mais pobres dos pobres do velho continente, onde as desigualdades sociais cada vez mais vão ser evidentes. Onde vai tudo isto parar? Não quero nem pensar nisso!



quinta-feira, 15 de maio de 2008

Pirilamparices

Andou por aí a campanha do Pirilâmpo Mágico 2008. Tentei encontrar no youtube o vídeo do primeiro de todos que foi, para quem não se lembra, no já longínquo ano de 1987. Não consegui mas, em contrapartida, deixo aqui um dos vídeos mais engraçados sobre pirilamparices que alguma vez passou na televisão portuguesa!


video

domingo, 11 de maio de 2008

O Fortuna

O Fortuna

Velut luna,
statu variabilis.
Semper crescis
aut decrescis
Vita detestabilis.
Nunc obdurat
et tunc curat.
Ludo mentis aciem.
Egestatem, potestatem
dissolvit ut glaciem.
Sors immanis
et inanis
rota tu volubilis.
Status malus,
vana salus.
Semper dissolubilis
obumbrata
et velata.
Michi quoque niteris.
Nunc per ludum
dorsum nudum
fero tui sceleris.
Sors salutis
et virtutis
michi nunc contraria.
Est affectus
et defectus
semper in angaria.
Hac in hora
sine mora,
corde pulsum tangite,
quod per sortem
sternit fortem.
Mecum omnes plangite!

Ó Fortuna

Como a lua,
seu estado é mutável.
Sempre crescente
ou decrescente.
Vida detestável.
Primeiro maltratas
E depois lisonjeias.
Mente afiada no jogo.
A pobreza e o poder
tu as fundes como gelo.
(Da) sorte monstruosa
e vazia
tu giras a roda.
Tu és perversa,
tua segurança é vã.
Sempre dissolvida
nas sombras
e escondida.
Me ameaças também.
(E) agora, como parte do jogo
eu trago o dorso nu
para a tua perversidade.
A sorte da saúde
e da força
está agora contra mim.
(Ela) foi afetada
e destruída
totalmente por sua causa.
Então nesta hora
(e) sem demora,
que sejam tocadas as cordas vibrantes,
posto que a sorte
derruba até os fortes.
(E) que todos chorem comigo!

sábado, 10 de maio de 2008

It get's lonely

Hoje quando andava a navegar no iutubi descobri este vídeo com uma música simples, singela, mas da qual gostei. O melhor está sempre envolto na simplicidade! Digo eu pelo menos! E no geral até que não é mentira!


video


Oh God! I'm becoming a melodrama queen!

sexta-feira, 2 de maio de 2008

Um dia bem passado

Aproveitar um fim-de-semana ou um dia feriado e, na boa companhia de um amigo, partir um pouco sem destino, em velocidade cruzeiro, à descoberta dos tesouros, mais ou menos conhecidos, que o nosso país encerra. Eis a receita para um dia bem passado!